Bem-vindo(a) ao Portal Escrivão Caminha! Explore os nossos blogs , vote em nossos textos e escreva para nós.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

O amor domina e vence outra vez!

por Walter Mendes

Escolher música de casamento é uma tarefa bem difícil! Atendendo ao pedido de um amigo muito querido, montei uma seleção este fim de semana para o casamento religioso dele e percebi a pouca variedade de opções na praça.

Consultei algumas listas na internet e lembrei de músicas do meu acervo e memória para atender a seu desejo: uma seleção que fugisse do comum. Tarefa árdua, acreditem. Lutar contra o divórcio deve ser mais fácil que lutar contra a "Marcha Nupcial" na trilha sonora do casamento! Música erudita é confortável como uma samba-canção ou lingerie bege, mas as três coisas em excesso podem deixar tudo sem graça e sem charme num casamento.

Temas instrumentais seculares sempre vêm à tona, ainda mais aqueles retirados de grandes filmes. Contudo, eles precisam ser escolhidos a dedo. Afinal, a música perfeita para embalar a festa ou a noite de núpcias quase sempre não é a mais adequada para a cerimônia na igreja. Glorinha Khalil deve ter algo escrito em algum lugar sobre isso. Se não tem, deveria estar. Uma pequena e discreta ousadia aqui e ali pode até passar, mas é de bom tom não profanar o caráter sagrado da cerimônia religiosa.   

Falando nisso, música religiosa de qualidade e bom gosto para casamento é rara como um milagre. Apesar de muitas igrejas católicas e evangélicas exigirem apenas música religiosa/erudita dentro dos templos, as composições cristãs para casamento não crescem nem se multiplicam. Por exemplo, no momento mais sagrado da cerimônia espiritual, a bênção das alianças pelo padre/pastor, não há praticamente nada fora da versão musicada do Pai-Nosso ou Ave-Maria que se iguale em grandeza, espiritualidade e beleza a essas canções. Fica a dica para os músicos e cerimoniais.

Cá entre nós: não é difícil entender por que trilha sonora de casamento é tão cheia de repetições e modismos! As mesmas canções em todas as cerimônias. Encontrar a alma gêmea cantada na música do Fábio Júnior é "facim, facim". Disso não existe dúvida, haja vista que ele já se casou 6 vezes. Difícil é encontrar música diferente para casar-se tantas vezes.

Mas nada se compara, é claro, ao recorde de 17 - sim, dezessete! - casamentos da cantora Gretchen. Se ela ainda sabe o nome de cada ex-marido, não posso dizer. Mas ela deve saber cantarolar pelo menos 10 músicas inteiras de casamento, tocadas e cantadas pelo menos 5 vezes ao longo das ocasiões em que ela subiu ao altar. As mesmas dez músicas que tocam em 9 de cada 10 cerimônias de casamentos em que você estiver. Inclusive a sua.

Já pensou se a Gretchen aproveita sua "expertise" para gravar um CD e vira a Simone das canções de casamento? "Então é real / perante vocês / o amor domina / e vence outra vez!" 

Pensando bem, é melhor não dar ideia...


Share/Save

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Sobre o resultado da ordenação de mulheres

Público presente na Conferência Geral 2015
por Walter Mendes

Foi votada ontem (8/07/2015) a ordenação de mulheres ao pastorado na 60a Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia. Por 1381 votos contra, 977 a favor e 5 abstenções, os delegados da Igreja mundial decidiram que as divisões (os escritórios continentais da denominação) não devem fazer provisões para que mulheres sejam ordenadas ao ministério pastoral.

Gostaria de tecer alguns comentários sobre os debates e votação de ontem neste post, mas preciso, antes de mais nada, fazer alguns esclarecimentos:

1. Não estou faltando com a ética ao fazer os comentários e observações abaixo, nem estou vazando quaisquer informações secretas. A assembleia da Conferência Geral é e sempre foi aberta ao público, além de estar sendo divulgada de forma oficial e ao vivo pela administração da Igreja.

2. As observações abaixo não têm relação  com minha opinião a favor da ordenação de mulheres. Se o voto final tivesse sido igual ao meu desejo, ainda assim as observações seriam as mesmas.

3. Creio na Igreja Adventista do Sétimo Dia como meu lar na família de Deus. Mas sou forçado a reconhecer o comentário de um pastor amigo meu: apenas um milagre de Deus vai terminar a pregação do evangelho para estarmos em pé no Advento do Rei.

NÃO FIZERAM A LIÇÃO DE CASA
Eu acompanhei ontem à tarde o período de discussões anterior à votação e foi algo deprimente. Os delegados mundiais claramente não leram nem estudaram o relatório de 120 páginas preparado pela comissão que estudou as 3 propostas (sim, não, cada divisão decide). Existe uma cultura da ignorância (mais importante é evangelizar, não perder tempo com estudos e discussões) muito perigosa em nossa Igreja. Um fato que provoca a existência de membros sem firmeza alguma no estudo e interpretação da Bíblia. E isso explica, em parte, a imagem do balde furado usada em um relatório desta Conferência: nós ganhamos muitos membros para a Igreja ano após ano, mas perdemos quase o mesmo número de adeptos pela apostasia ano após ano.

O (DES)CASO DA AMÉRICA DO SUL
Nenhum delegado ou oficial da Divisão Sul-Americana soltou uma palavra sequer sobre o assunto durante as discussões, tanto no plenário da Conferência Geral quanto em suas contas oficiais no Twitter. Algo bem diferente da representação de outros continentes e regiões, que participaram e contribuíram bastante (às vezes até demais) durante as discussões. Falta de domínio do inglês, falta de estudo da matéria, falta de colhões para ser fiel 'como a bússola o é ao polo'? Faltam explicações e respostas.

MACHO MAN
Não adianta negar: existe um ranço de machismo muito forte na nossa Igreja. Biologia, não teologia, parece dar automaticamente sabedoria e talento para cuidar das coisas de Deus. (Os argumentos ontem para o NÃO giraram em torno da ideia de que a mulher não precisa ser ordenada para fazer o que já faz...) Isso foi visível inclusive no microfone de discussões da Conferência Geral, em que se viu e ouviu dezenas e dezenas de homens e apenas 2 mulheres indo à frente para discutir a ordenação de mulheres...

MEDO E VERGONHA
Sério, tenho medo e vergonha de ser adventista muitas vezes. E ontem foi uma dessas ocasiões, quando percebi que a liderança da Igreja ao redor do mundo sabe tanto quanto ou até menos de Bíblia, Ellen G. White, história do Cristianismo, interpretação de texto, tolerância e empatia, argumentação e lógica do que os membros pobres e sem estudo de igrejas da periferia e interior. Vários delegados contra e favor da ordenação ameaçaram sutilmente ou não que abandonariam a Igreja se o voto final não fosse conforme o que eles desejavam.

PONTOS 'ALTOS' DO DEBATE
Um delegado americano a favor da ordenação falou na cara dura que a América do Norte tem menos membros, mas tem mais dízimo. Uma delegada contra a ordenação sugeriu que a discussão fosse aberta apenas para os que votariam. Um delegado contra disse que Jesus era a verdade e Ele nunca ordenou mulheres, esquecendo-se que o Salvador nunca ordenou ninguém, nem homens, nem mulheres. Um delegado a favor lembrou que os irmãos da África e da Ásia deveriam respeitar a cultura da América do Norte e Europa, pois a Igreja respeitou a cultura da África e da Ásia ao permitir e tolerar a poligamia - sim, poligamia - nesses lugares por razões culturais.

A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS?
A maioria votou e a questão foi decidida: "é a vontade do Senhor!". Doze espias votaram e 10 foram contra a tomada da Terra Prometida no tempo de Josué e Calebe. A nação inteira votou e escolheu um rei sobre Israel no tempo de Samuel. A multidão votou na sexta-feira e escolheu Barrabás em vez de Jesus. A história sagrada deveria mostrar que a decisão da maioria não significa necessariamente "a vontade de Deus".

PONTOS NOS IS
Que fique bem claro: o voto ontem não foi sobre mulheres pastoras (elas já existem e continuarão a existir), nem sobre ordenar mulheres (diaconisas já são ordenadas). O voto de ontem foi sobre ordenar mulheres pastoras (o que não existe ainda e não vai existir por alguns anos). A Igreja Adventista do Sétimo Dia faz diferença entre "pastores comissionados" (caso das mulheres) e "pastores ordenados" (caso dos homens, com o ritual da imposição de mãos).

VAI TER MULHERES PASTORAS SIM
A Igreja na América do Norte divulgou nota nesta madrugada em sua página do Facebook. Embora respeitem a decisão da Igreja mundial, eles vão continuar a ter mulheres pastoras e pretendem dobrar o número delas nos próximos anos para poder evangelizar seu território. Rebeldia? Não! A Igreja Adventista do Sétimo Dia tem 320 pastoras nos EUA, Holanda, Alemanha e China e elas vão continuar existindo depois da Conferência Geral de 2015.
Share/Save

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Qual é o objetivo do jejum religioso?

por Ángel Manuel Rodríguez
traduzido por Walter Mendes*


Qual é o objetivo do jejum religioso? Para algumas pessoas que eu conheço, ele parece quase um ritual que nos traz méritos diante de Deus.

Sua pergunta trata de uma prática religiosa que parece não ser tão comum na igreja e na vida do membro individual quanto costumava ser. Vamos dar uma olhada nas passagens e narrativas da Bíblia em que essa prática é mencionada.

1. Prática e tipos de Jejum


O jejum não significa necessariamente abstenção total de comida e bebida. Em alguns casos, houve abstenção total por um período prolongado de tempo; mas nesses casos o próprio Deus parece ter sustentado a pessoa (Êxodo 34:28; cf. Mateus 4:2). Alguns jejuaram por curtos períodos de tempo sem comer e beber (Ester 4:16; Atos 9:9). Mas tudo indica que um jejum normal permitia o consumo de água a fim de evitar o risco de desidratação (Levítico 23:14), especialmente num clima quente, além da abstenção de comida apenas durante as horas claras do dia (2 Samuel 1:12; 3:35) – algo parecido com o moderno jejum muçulmano durante o Ramadã. Tudo indica também que jejuar durante a noite era algo pouco comum (Ester 4:16). A Bíblia também menciona jejuns parciais, que consistiam no consumo de quantidades limitadas de comida mais simples (Daniel 10:2,3).

A duração do jejum variava. Lemos sobre jejuns de 40 dias (Deuteronômio 9:9), sete dias (1 Samuel 31:13), três dias (Ester 4:16), um dia (2 Sm. 3:35) e, ao que tudo indica, um jejum de apenas uma noite (Daniel 6:18). Havia jejuns comunitários: Deus ordenou aos israelitas que jejuassem durante o Dia da Expiação (Levítico 16:29); em algumas ocasiões, os líderes pediam ao povo para jejuar (Juízes 20:26; 2 Crônicas 20: 3); ou os profetas convocavam um jejum (Joel 2:12,13). Mas o jejum privado era uma prática mais comum.

2. Conceitos associados ao jejum


O jejum está intimamente relacionado a orações de cura e libertação (Salmo 35:13) e à adoração (Atos 13: 2). Mas também é praticado no contexto de uma calamidade presente ou futura (Ester 4: 1-4), de luto (2 Samuel 1:12), na escolha de líderes da igreja (Atos 13: 2,3), como um sinal de arrependimento (Jonas 3: 5) e como uma expressão de devoção a Deus (Lucas 2:37). Jesus condenou a ostentação no jejum, que buscasse impressionar os outros com a própria espiritualidade. Ele incentivou o jejum privado (Mateus 6:16-18).

3. Significado básico do jejum


É difícil encontrar um objetivo fundamental para o jejum presente em todas as suas formas, mas um chega bem próximo do ideal. Tudo indica que o jejum é a expressão externa do total comprometimento e dependência interna da pessoa no poder de Deus de preservar e resgatar. As Escrituras descrevem o ser humano como uma unidade individual de vida autoconsciente inseparável do corpo. Os sentimentos e emoções não são meras experiências internas que temos à parte do corpo; eles estão intrinsecamente relacionados com nossa corporalidade e se expressam através de nosso corpo. Não existe maneira alguma de expressar sentimentos, emoções e religiosidade a não ser por meio de nossa existência corporal.

Deus deve ter informado a Adão e Eva que eles teriam de cooperar com Ele na preservação de suas vidas por meio da ingestão de alimentos (Gênesis 1:29). A falta de vontade de comer, ou de comer alimentos apropriados, indicaria falta de vontade de submeter-se a Seu plano para eles (Gênesis 2:9). Tal atitude seria a expressão física/corporal de um espírito de rebelião. Consequentemente, o jejum indicaria uma falta de vontade de cooperar com Deus na preservação de nossa vida.

Contudo, a Bíblia indica o jejum como uma expressão legítima de devoção e compromisso com Deus. Nesse caso, a privação de alimentos não é uma forma de rebelião, mas um reconhecimento de que a vida pode ser, no fim das contas, preservada apenas por nosso Criador e Redentor. Ao jejuar, entregamos nossa vida totalmente aos cuidados e misericórdia de Deus. Isso expressa um compromisso total e absoluto, uma entrega amorosa e confiante de nossa vida a Deus como o único que pode nos resgatar da opressão do pecado.

Finalmente, ao jejuar nos identificamos com os necessitados e oprimidos e permitimos que Deus nos use para enriquecer a vida deles (Isaías 58:6-7).

Um ritual que nos traz méritos diante de Deus? Não há nada de meritório em entregar-se a Ele. O jejum é, na verdade, um reconhecimento da nossa dependência de Deus.

________
*Traduzido do texto original "What is the purpose of religious fasting?", de Ángel Manuel Rodríguez.

Direitos reservados ao Instituto de Pesquisa Bíblica da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia.

Share/Save

domingo, 21 de junho de 2015

Motivos para Agradecer


É a promessa de Deus para Seus filhos!


“Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; para confirmar a sua aliança, que, sob juramento, prometeu a teus pais, como hoje se vê.”
– Deuteronômio 8:17-19, ARA*

“Bendito seja o Senhor, pois ouviu as minhas súplicas. O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele o meu coração confia, e dele recebo ajuda. Meu coração exulta de alegria, e com o meu cântico lhe darei graças.”
– Salmo 28:6-7, NVI*

“Quem me oferece sua gratidão como sacrifício, honra-me, e eu [o Senhor] mostrarei a salvação de Deus ao que anda nos meus caminhos.”
– Salmo 50:23, NVI

“Venham! Cantemos ao Senhor com alegria! Aclamemos a Rocha da nossa salvação. Vamos à presença dele com ações de graças; vamos aclamá-lo com cânticos de louvor. Pois o Senhor é o grande Deus, o grande Rei acima de todos os deuses.”
– Salmo 95:1-3, NVI

“Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras. Servi ao SENHOR com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico. Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele quem nos fez, e dele somos; somos o seu povo e rebanho do seu pastoreio. Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome. Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração, a sua fidelidade.”
– Salmo 100, ARA

“Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios. Ele é quem perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia; quem farta de bens a tua velhice, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.”
– Salmo 103:1-5, ARA

“Aleluia! Deem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura para sempre. Quem poderá descrever os feitos poderosos do Senhor, ou declarar todo o louvor que lhe é devido?”
– Salmo 106:1-2, NVI

“Que darei ao SENHOR por todos os seus benefícios para comigo? Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do SENHOR. Cumprirei os meus votos ao SENHOR, na presença de todo o seu povo."
– Salmo 116:12-14, ARA

“Orarás naquele dia: Graças te dou, ó SENHOR, porque, ainda que te iraste contra mim, a tua ira se retirou, e tu me consolas. Eis que Deus é a minha salvação; confiarei e não temerei, porque o SENHOR Deus é a minha força e o meu cântico; ele se tornou a minha salvação. Vós, com alegria, tirareis água das fontes da salvação. Direis naquele dia: Dai graças ao SENHOR, invocai o seu nome, tornai manifestos os seus feitos entre os povos, relembrai que é excelso o seu nome. Cantai louvores ao SENHOR, porque fez coisas grandiosas; saiba-se isto em toda a terra. Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel no meio de ti.”
– Isaías 12, ARA

“Portanto eu [Jesus] lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? Portanto, não se preocupem, dizendo: Que vamos comer? ou Que vamos beber? ou Que vamos vestir? Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.”
– Mateus 6:25-34, NVI

“Sempre dou graças a meu Deus por vocês, por causa da graça que lhes foi dada por ele em Cristo Jesus. Pois nele vocês foram enriquecidos em tudo, isto é, em toda palavra e em todo conhecimento, porque o testemunho de Cristo foi confirmado entre vocês, de modo que não lhes falta nenhum dom espiritual, enquanto vocês esperam que o nosso Senhor Jesus Cristo seja revelado.”
– 1 Coríntios 1:4-7, NVI

“Como está escrito: ‘Distribuiu, deu os seus bens aos necessitados; a sua justiça dura para sempre’ [Salmo 112:9]. Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e multiplicará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça. Vocês serão enriquecidos de todas as formas, para que possam ser generosos em qualquer ocasião e, por nosso intermédio, a sua generosidade resulte em ação de graças a Deus.”
– 2 Coríntios 9:9-11, NVI

“Por essa razão, desde que ouvi falar da fé que vocês têm no Senhor Jesus e do amor que demonstram para com todos os santos, não deixo de dar graças por vocês, mencionando-os em minhas orações. Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, lhes dê espírito de sabedoria e de revelação, no pleno conhecimento dele. Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança dele nos santos e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, conforme a atuação da sua poderosa força.”
– Efésios 1:15-19, NVI

“Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!”
– Efésios 3:20-21, NVI

“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.”
– Efésios 5:18-21, ARA

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.”
– Filipenses 4:6-7, ARA

“Que a paz de Cristo seja o juiz em seu coração, visto que vocês foram chamados para viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos. Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seu coração. Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dele graças a Deus Pai.”
– Colossenses 3:15-17, NVI

“Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.”
– 1 Tessalonicenses 5:18-19, ARA
________________
Versões bíblicas

*As passagens com a sigla ARA foram extraídas da Bíblia Almeida Revista e Atualizada; os versos indicados pela sigla NVI, da Bíblia Nova Versão Internacional.

Share/Save

terça-feira, 16 de junho de 2015

Argumentos equivocados no debate sobre ordenação de mulheres

por Pr. Matheus Cardoso


O Instituto de Pesquisa Bíblica da Igreja Adventista do Sétimo Dia preparou alguns materiais neutros apontando vários argumentos ilegítimos usados a favor e contra a ordenação de pastoras. {Um tema que será levado a debate e voto na 60º Conferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, em San Antônio (no Texas, EUA), de 2 a 11 de julho de 2015.} Confira se você já não ouviu algum:

Argumentos equivocados CONTRA a ordenação


"A ordenação de mulheres [ou de pastoras; também ao longo de todo o texto] é inaceitável porque seus defensores usam formas de teologia liberal e abordagens críticas à Bíblia."
"A ordenação de mulheres é inaceitável porque estaria ligada ao apoio do estilo de vida homossexual."
"A ordenação de mulheres é inaceitável por causa da agenda feminista militante e do domínio das mulheres."
"A ordenação de mulheres é inaceitável porque, apesar de discutir o assunto por mais de 40 anos, a igreja nunca a aceitou oficialmente."
"A ordenação de mulheres é inaceitável porque se opõe à compreensão tradicional do papel e das funções das mulheres. Ela milita contra as relações familiares que são descritas [na Bíblia] em termos de submissão."
"A ordenação de mulheres é inaceitável por razões práticas. Novidades criam ansiedade e desestabilizam a situação."

Argumentos equivocados A FAVOR da ordenação


"A ordenação de mulheres é necessária por causa de um consenso cultural e da sociedade."
"A ordenação de mulheres é necessária porque, já que outras igrejas decidiram ordenar pastoras, os adventistas não devem ser os últimos a fazê-lo."
"A ordenação de mulheres é necessária porque os primeiros adventistas possivelmente apoiavam as mulheres no ministério e talvez tenham ordenado algumas mulheres."
"A ordenação de mulheres é necessária porque é antiético não ordenar mulheres."
"A ordenação de mulheres é necessária porque mudanças acontecem regularmente e essa é inevitável."
"A ordenação de mulheres é necessária por razões práticas."


"Em áreas nas quais a Bíblia não contém mandamentos explícitos, os adventistas NÃO aderem a nenhuma das seguintes abordagens: (1) o que as Escrituras não proíbem é permitido [...] e (2) o que as Escrituras não permitem é proibido."

"Parece que, depois que a Comissão de Estudo sobre a Teologia da Ordenação concluiu seus trabalhos, o debate alcançou um novo nível, que, em nossa opinião, é prejudicial à igreja. [...] Temos a impressão de que a discussão não mais é bíblico-teológica, mas que indivíduos e grupos estão criticando e condenando fortemente uns aos outros. Em teologia [assim como em filosofia], nos referimos a isso como argumentos ad hominem [o que é uma falácia, isto é, um argumento ilegítimo]. [...]

"O debate sobre ordenação não tem nada a ver com os ensinos bíblicos mais fundamentais. Esse tema não pertence ao núcleo das crenças adventistas. Portanto, é ainda mais preocupante [...] ver pessoas envolvidas no debate repelindo, ofendendo e condenando um ao outro porque estão em lados diferentes do debate sobre ordenação."

Leia os artigos completos:


"Some Wrong and Right Reasons in the Women’s Ordination Debate", de 
Ekkehardt Mueller.

"The Biblical Research Institute and the Issue of Women’s Ordination to the Pastoral Ministry"
de Ekkehardt Mueller.



Share/Save

Related Posts with Thumbnails

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO